A história de 5 cadeiras ícones do design de móveis

A história de 5 cadeiras ícones do design de móveis

Escolha uma delas para ter na sua casa.

As cinco cadeiras que selecionei para contar essa história são cadeiras multiuso.

Ficam ótimas na mesa de jantar, na cozinha, no quarto, no terraço, e podem ser misturadas entre si.

A primeira é a mais antiga de todas e também a mais famosa. É encontrada no mundo todo em restaurantes e cafés, é usada em todas as cores, inclusive num glorioso dourado.

Trata-se da cadeira Thonet . Foi desenhada em 1859 pelo artesão Michael Thonet em Viena e resultou de anos de experiências para dominar a arte de dobrar madeira sólida. Foi a pioneira dessa arte, e hoje é distribuída por fábricas da marca que seguem as especificações de seu criador.

Sua forma simplificada visava atingir o objetivo de produção em massa do século XIX. A versão sem braço da cadeira tem uma estrutura mignon e seu espaldar vazado tem um ar leve. Nas composições de mesas e cadeiras misturadas, está sempre presente para equilibrar a presença de cadeiras mais volumosas.

Fonte: Arquivo próprio

Já no século XX, feita de metal, popularizou-se a cadeira modelo A da Tolix.  Foi desenhada em 1934 pelo francês Xavier Pauchard, este responsável pela descoberta da galvanização do aço.

Por ser de metal galvanizado (não enferruja) ela é uma cadeira ideal para ambientes internos e externos. Tem uma estética industrial, e ficou recentemente  famosa no Brasil, devido à propagação do estilo industrial. Seu encosto é largo e o assento  grande,  pode levar uma almofada para  ficar mais confortável. Diferente da cadeira Thonet, o modelo A da Tolix ocupa bastante espaço, portanto é necessário assumi-la no conjunto total. Ela é vendida em muitas cores, com braço ou sem. Seu acabamento pode ser brilhante ou envelhecido ( simula o enferrujado).

 

Fonte: Arquivo próprio

Listar apenas 5 cadeiras ícones é difícil. Afinal existem no mínimo 10 a se destacar. Meu critério foi relacionar cadeiras que marcaram épocas, mas principalmente, cadeiras que se misturem sem grandes problemas, uma vez que o post que deu origem a este, trata de sala de jantar com cadeiras misturadas.

Seguindo a linha da Decoração Sem Dúvida, achei correto listar aquilo que você encontra para comprar com facilidade, e sabe desde agora, que pode misturar.

Sendo assim, não posso deixar o casal americano Charles e Ray Eanes de fora.

Todo amante do mobiliário da metade do século XX conhece essa dupla. Foram eles que colocaram a fibra de vidro em nossas casas. No ano de 1950 foi fabricada a cadeira DAW, uma poltroninha no verdadeiro formato de concha , feita em  fibra de vidro reforçado, com base em madeira. Hoje ela é moldada em polipropileno, e permanece tão confortável quanto na época de sua invenção. DSW é sua versão sem braço, produzidas num caleidoscópio de cores. Tanto uma quanto a outra, são certeza de sucesso numa mistura de cadeiras.

 

Fonte: Arquivo próprio

Madeira, Aço e Polipropileno, passamos por essas opções de materiais nas cadeiras apresentadas acima. Vou acrescentar aqui, mais uma em aço, porém seu material parece secundário, diante de sua trama e design.

Leve, de peso e de visual, acessível e confortável. Parece bom demais né?

Estamos falando da cadeira Modelo 420C de Harry Bertoia,  este um estudioso da forma e do espaço. Fruto da inspiração dos anos 1950, foi construída em veios de aço dobrado, soldado com cobertura de vinil e almofada removível.

O modelo com braço, mais parece uma arraia, e seu criador se referia a ela como uma escultura, não uma cadeira. É conhecida como cadeira Diamante.

 

Fonte: Arquivo próprio

Lucian R. Ercolani, italiano, fundou a Ercol em 1920. Desenhou uma linha grande de produtos, que marcou as décadas de 1950 e 1960.

A cadeira que vou destacar aqui, serve para fazer a representação da madeira numa mistura de cadeiras. Não são tão curvadas quanto as Thonet, e representam uma opção para a descontração da proposta.

Diferente das 4 recomendações acima, que estão a venda no Brasil, através de muitas empresas, uma cadeira original da Ercol não se encontra com facilidade por aqui.

Mas existem muitas reproduções, por isso vale inclui-la nessa diminuta seleção.

Fonte: Arquivo próprio

Você acaba de conhecer cinco modelos de cadeiras absolutamente “misturáveis”. Se sua vontade é ter uma mesa de jantar descontraída, então mistures as suas com pelo menos uma dessas sugestões.

 

 

 

 

 

Passos para ter sucesso misturando cadeiras na mesa de jantar

Passos para ter sucesso misturando cadeiras na mesa de jantar

Saiba o que misturar e o que não misturar

Se você é uma pessoa que gosta de fazer mudanças na sua casa a toda hora, provavelmente já pensou em ter cadeiras diferentes para sua mesa de jantar.

Já percebeu também que essa é uma tendência que tem um efeito, que poucos outros elementos tem na decoração.

A mesa de jantar rodeada por cadeiras diferentes tem personalidade, uma vez que a mistura é única, só sua. Assim como uma parede galeria, a escolha de cores e texturas é muito particular. Ela te dá a oportunidade de ousar nas cores e formas, coisa que você talvez não fizesse num sofá.

A idéia por trás dessa proposta é passar a sensação de que sua casa simplesmente aconteceu, que não houve planejamento para decora-la. Afinal você teria pego uma cadeira aqui, outra ali, e tudo acabou maravilhosamente casual.

Mas a realidade não funciona assim. Até para misturar cadeiras é preciso conhecimento.

 

Unidas pela cor amarela, está valendo tudo para essa cadeiras, até diferença de altura, o que deve ser evitado na maioria dos casos. Fonte:Livingetc.com

 

Como misturar cadeiras:

Altura:

Brinque o quanto quiser com os materiais,as cores,os estilos, mas evite oscilar na altura das cadeiras.O look final pode ficar comprometido, e pior ainda, seus convidados podem ficar desconfortáveis estando em alturas diferentes. Portanto meça a altura do assento, e do enconsto.

Bastante diferentes e em pares,não causam confusão visual porque são em preto e prata. Fonte:interiordesignideas.com

 

Cores:

Existem duas maneiras básicas para escolher as cadeiras, no que diz respeito às cores. Se deseja apostar num arco iris, ou seja vai mesmo usar vários cromas, recomendo que se atenha a um mesmo modelo de cadeira, com variação nos braços por exemplo.

Mostarda e Laranja fazem parte da mesma família cromática. Fonte:homefurniture.com

Ao contrário, se sua vontade é ter modelos diferentes, então é melhor manter a mesma cor.

 

Fórmula sem erro. Mesa de madeira e cadeiras diferentes brancas. Estas são de fibra, mas poderiam ser de qualquer material que o efeio seria o mesmo. Fonte:Dcoracão.com.br

 

Épocas e Estilos:

Usar cadeiras da mesma época dá uma tranquilidade quanto ao resultado. A metade da década do século XX é riquíssima em design de cadeiras.

As quatro cadeiras pretas são Thonet, 3 sem braço e com assento de palha e 1 com braço e assento de madeira. Fonte: Houzz.com

 

Misturar épocas já representa um desafio maior. Mas existem cadeiras que são verdadeiros coringas. Cito aqui as eternas Thonet que combinam absolutamente com tudo e estão disponíveis com e sem braços.

Atualmente, as decorações no estilo industrial usam a cadeira Tolix em todos os lugares,ela também é encontrada com braço e sem, em várias cores.

Então se você decidir que quer misturar estilos , recomendo que duplique suas escolhas e preste atenção ao formato das cadeiras para que tenham uma semelhança. Usa-las em pares vai garantir uma unidade ao conjunto, e apesar das diferenças o look ficará coeso.

Fonte:dwell.com