Psicologia e Design são termos que aparentemente não combinam.   Certo?   Errado.

Ambos são matérias de Humanas, e se pensarmos por ai, já começamos a enxergar a possibilidade de encontro entre as duas.

A psicologia estuda a mente humana, na tentativa de identificar problemas relacionados ao comportamento, e visa resolver esses problemas para que o indivíduo tenha uma vida melhor.

Praticar a  psicologia do design de interiores num projeto significa que a psicologia será uma das ferramentas mais importantes para que esse projeto seja  bem sucedido.

A princípio não encontramos conexão com essa matéria e uma residência  normal. Então para entender melhor, vejam a aplicação da Psicologia do Design de Interiores no Marketing.

Conhecida do Marketing, através de outras denominações, o design de interiores sempre esteve presente nos pontos de venda.

O curso de  marketing tem uma matéria chamada “psicologia do consumidor”. Ela estuda o  comportamento do consumidor a fim de entende-lo melhor, e consequentemente vender mais.  E quais recursos são usados para conquistar o  consumidor?

CORES, LUZES, ESTAMPAS, AROMAS, ALTURAS, TEXTURAS, FORMAS, TEMPERATURA, VAZIOS, DISTÂNCIAS RELATIVAS, ETC…

 

Todos esses elementos  são de domínio do designer de interiores, seu conhecimento é primordial para construir o ambiente onde um  produto estará exposto.

Loja da Breguet, Macau 2016 Fonte breguet.com

Já  a algum tempo as lojas de roupas, eletrodomésticos, celulares… empregam  designers , para traduzirem em elementos visuais, o conhecimento sobre o comportamento de seus consumidores. Nada é por acaso. O local dos provadores, por exemplo, é sempre no fundo, porque a sensação de privacidade faz com que o cliente permaneça mais tempo na loja. A iluminação normalmente “conduz”o cliente pelos caminhos que a loja deseja. Nos supermercados, a padaria fica em um lugar estratégico, a fim de exalar o cheiro de pão quentinho. Nos escritórios, as mesas colocadas assimetricamente prejudicam a concentração de quem trabalha. Existem milhares de outros exemplos. Escreverei muitos posts sobre o assunto, pois ele me fascina.

A psicologia do Design de Interiores é um ramo da Psicologia Ambiental. A matéria entende  que o layout,  as cores,  os cheiros… todas as sensações vividas num ambiente  podem resultar no bem estar ou mal estar do indivíduo que ali vive ou trabalha.

A respeito da afirmação acima, lembremos que também os hospitais empregam designers de interiores, para projetar ambientes que dêem conforto fisico e emocional para pacientes e médicos.

Em seu tempo, personalidades como Walter Benjamin, Sigmund Freud e Jean Braudrillard, escreveram muito sobre esse assunto, não deixando dúvida que ao incorporar a psicologia no design, este pode criar um meio, que determinará as relações e o comportamento dos indivíduos ali presentes.

pantone-color-swatches-fashion

As cores tem um enorme efeito no ser humano. Pode nos deixar mais ou menos produtivo, mais ou menos emocionais, até mesmo mais famintos.

O aumento no número de pesquisas do ramo da neuro ciência tem levado cientistas, dos quatro cantos do mundo, a se aprofundarem no tema sobre  a relação entre as emoções e os espaços internos.

As  descobertas abrem as portas para um tipo de design que conscientemente manipula os elementos decorativos com o objetivo de encontrar a paz e a felicidade nos ambientes.